https://rupinup.com/lackyjetpin uphttps://mostbet-cazino.kz/1win slot

Assis Chateaubriand é 8ª melhor cidade para morar no Paraná

O jornal Gazeta do Povo publicou, nessa quarta-feira (3), a lista atualizada com as 10 melhores cidades para morar no Paraná. Para a surpresa, o município de Assis Chateaubriand conquistou o 8º lugar de destaque, com 7,10 pontos, à frente de Siqueira Campos e Goioerê. A primeira colocada na lista foi Miraselva, que fica no norte do Paraná, com 7,35 pontos.

O Brasil teve 52.391 homicídios em 2022, e nenhum deles aconteceu em Miraselva. O Brasil teve 33.813 mortes em acidentes de trânsito em 2021. Nenhum em Miraselva. O Brasil teve 15.507 suicídios em 2021. Zero em Miraselva.
Quem passeia pela cidade de 1.965 habitantes encontra vizinhos sentados na calçada, conversando serenamente. Miraselva tem avenidas bem cuidadas, com arbustos nos canteiros centrais. No Cadastro Único dos Programas Sociais, mantido pelo governo federal, não há registro de famílias sem teto no município.

Agora, Miraselva tem um motivo a mais para se orgulhar: a cidade, a cerca de 70 quilômetros de Londrina, aparece em primeiro lugar entre os municípios do Paraná no ranking elaborado pela Gazeta do Povo com base em 21 indicadores.

Com 7,35 pontos numa escala de 0 a 10, Miraselva também ocupa o 16º lugar no ranking nacional — que inclui todos os 5.570 municípios brasileiros. Ao todo, o Paraná teve seis cidades entre as 100 primeiras. A nota média dos municípios paranaenses foi de 5,90, acima da média nacional de 5,64.

No quesito segurança pública, um total de 103 cidades paranaenses obtiveram nota 10 porque não registraram homicídios em 2022 (ano dos dados consolidados mais recentes). Dessas, a maior é Siqueira Campos, com cerca de 24,1 mil habitantes.

A Gazeta do Povo preparou um guia com os destaques paranaenses no ranking das cidades, a começar pela lista das dez cidades com a maior nota.

As 10 melhores cidades para morar no Paraná
1. Miraselva – 7,35
2. Cornélio Procópio – 7,33
3. Kaloré – 7,23
4. Maringá – 7,19
5. Pato Branco – 7,15
6. Indianópolis – 7,15
7. Diamante do Norte – 7,10
8. Assis Chateaubriand – 7,10
9. Siqueira Campos – 7,04
10. Goioerê – 7,00

As cidades com melhor infraestrutura
Um dos critérios analisados no ranking da Gazeta do Povo é a infraestrutura urbana. No município de Jussara, 100% das vias públicas têm asfalto e meio-fio. Na cidade de 7,5 mil habitantes, a rede de esgoto cobre mais de 92% das casas, e 95,8% das residências contam com abastecimento de água. A coleta de lixo ultrapassa os 97% das casas, e não há “aglomerados subnormais” (o termo que o IBGE usa para se referir a favelas). Por causa dessa combinação, Jussara aparece em primeiro lugar no Paraná no quesito Infraestrutura Urbana.

As cinco melhores notas do Paraná na categoria Infraestrutura Urbana
Jussara – 9,71
Maringá – 9,70
Cambará – 9,69
Cornélio Procópio – 9,66
Lobato – 9,60
Os destaques na Economia
Primeira colocada na lista quando o critério é o desempenho econômico, a cidade de Santo Inácio tem um índice elevado de emprego: o número de pessoas empregadas no setor privado equivale a 74,3% da população total, o que excede muito a média nacional de 21,07%.

O município de 6,2 mil habitantes, no noroeste do Estado, é um grande produtor de cana-de-açúcar e soja. A pecuária também tem uma participação importante na economia local. Segundo o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Social, a maior parte dos empregos na cidade está na agropecuária e na indústria alimentícia.

Já Araucária, em segundo lugar na lista, se destaca pela indústria (sobretudo na metalúrgica e na produção de alimentos) e o setor de serviços.

As cinco melhores notas do Paraná na categoria Economia
1. Santo Inácio – 6,37
2. Araucária – 6,15
3. Cafelândia – 6,09
4. Palotina – 5,88
5. Ortigueira – 5,83

Os melhores desempenhos na Saúde
Além de ocupar o posto mais alto entre as cidades do Paraná no ranking geral, a pequena Miraselva é destaque na Saúde. Os dados mais recentes mostram que o município teve apenas uma morte anual evitável (indicador que mede a qualidade da assistência à saúde). Mesmo quando se leva em conta o tamanho da população, o desempenho de Miraselva é muito superior à média.

Em terceiro lugar na lista, Curitiba ganhou pontos nessa categoria graças à ampla rede hospitalar e o alto número de médicos por habitante.

As cinco melhores notas do Paraná na categoria Saúde
1. Miraselva 7,40
2. Campina Grande do Sul 6,89
3. Curitiba 6,48
4. Pato Branco 6,47
5. Maringá 6,40

As melhores cidades do Paraná com mais de 50 mil habitantes
Morar em uma cidade pequena, como Miraselva, tem desvantagens: as opções de lazer e entretenimento, por exemplo, são limitadas. Quem procura uma cidade de maior porte deve olhar para Maringá: quando se leva em conta apenas as 36 cidades paranaenses com mais de 50 mil habitantes, o município está em primeiro lugar no Estado. Maringá também é a 65ª melhor cidade do Brasil no ranking geral e a 11ª no ranking nacional de municípios com mais de 100 mil moradores.

Um conjunto de bons indicadores explica a liderança de Maringá. Na cidade, a taxa de analfabetismo está abaixo de 2%, e a vasta oferta de vagas no ensino superior reforça a boa nota da cidade na categoria Educação. A taxa de homicídios é metade da média nacional, e a infraestrutura urbana atinge bons índices (95% das casas estão ligadas à rede de esgoto, e praticamente 100% têm coleta de lixo). Para completar, a cidade tem uma economia competitiva, com um alto índice de emprego quando comparada à média dos municípios paranaenses.

Em quinto lugar entre as cidades com mais de 50 mil habitantes no Paraná, a capital Curitiba ganha pontos pelo poder econômico e pela oferta de vagas no ensino superior, mas deixa a desejar no quesito segurança pública.

As cinco melhores cidades do Paraná com mais de 50 mil habitantes
1. Maringá – 7,18
2. Pato Branco – 7,15
3. Medianeira – 6,85
4. Rolândia – 6,80
5. Curitiba – 6,75

As notas mais baixas do Paraná
Dentre os 399 municípios paranaenses, 29 obtiveram uma nota abaixo de 5. O último colocado na lista é Rio Bonito do Iguaçu, que obteve 4,49 pontos. No município de cerca de 14 mil habitantes, apenas 823 pessoas possuem emprego formal no setor privado.

A cidade, na região oeste do Paraná, teve mais homicídios em 2022 (três) do que vagas no ensino superior (zero). Menos da metade das residências têm abastecimento de água, e praticamente 0% delas estão ligadas à rede de esgoto. Não há cinemas, bibliotecas públicas ou leitos hospitalares.

As cidades com as cinco piores notas no Paraná
395. Almirante Tamandaré – 4,60
396. Cantagalo – 4,59
397. Corumbataí do Sul – 4,56
398. Espigão Alto do Iguaçu – 4,54
399. Rio Bonito do Iguaçu – 4,49

Já entre as cidades com mais de 50 mil habitantes, o último lugar ficou com Almirante Tamandaré, que teve um péssimo desempenho no quesito segurança pública (a taxa de homicídios da cidade em 2022 foi de 37,7 assassinatos por 100 mil habitantes. Dentre as cinco últimas, quatro estão na região metropolitana de Curitiba.

As cidades com as cinco piores notas no Paraná (com mais de 50 mil habitantes)
32 – Paranaguá – 5,67
33 – Campina Grande do Sul – 5,66
34 – Fazenda Rio Grande – 5,66
35 – Piraquara – 5,59
36 – Almirante Tamandaré – 4,6

Entenda como a nota foi calculada
O levantamento da Gazeta do Povo inclui dez categorias diferentes, e utiliza um total de 21 indicadores. Alguns deles, por serem mais relevantes, ganharam peso maior no cálculo da nota final de cada cidade. Veja abaixo a lista das estatísticas levadas em conta no ranking, além das fontes utilizadas.

1. Educação – Peso 1,5

-IDEB Ensino Fundamental – anos finais (2021)

-IDEB Ensino Médio (2021)

-Índice de analfabetismo (Censo 2022)

-Vagas de ensino superior (Censo da Educação Superior 2022)

2. Taxa de homicídios (IPEA, 2022) – Peso 1,5

3 . Saúde – Peso 1,5

-Número de leitos hospitalares (DataSUS, 2024)

-Mortes evitáveis (DataSUS, 2024)

-Número médicos (DataSUS, 2024)

4. Economia – Peso 1,5

-PIB (Produto Interno Bruto) per capita  (IBGE, 2021)

-População empregada (Caged, 2024)

5. Infraestrutura – Peso 1,5

-Vias públicas com pavimentação e meio-fio na área urbana (IBGE, 2021)

-Domicílios ligados à rede de esgoto (IBGE, 2021)

-Abastecimento de água (IBGE, 2021)

-Aglomerados subnormais (favelas) (IBGE, 2021)

-Domicílios com coleta de lixo 2022 (IBGE, 2021)

6. Expectativa de vida (IBGE, 2021) – Peso 1

7. Mortes no Trânsito (DataSUS, 2022)- Peso 1

8. Suicídios (IPEA, 2021) – Peso 1

9. Cultura – Peso 1

-Salas de cinema (Ancine, 2023)

-Bibliotecas públicas (Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas, 2023)

10. Famílias em situação de rua (Cadastro Único para Programas Sociais, 2023) – Peso 1

Fonte: Gazeta do Povo

Rolar para cima